>_Backup com Bacula – bacula-sd.conf e bacula-fd.conf – 1.8

Entendendo um pouco da estrutura de backup do Bacula.

logo

bacula-sd.conf

Arquivo responsável por realizar a gravação e restauração dos dados em diversos tipos de dispositivos. Nele é possível configurar a maneira como o storage daemon acessa o dispositivo de gravação.

Storage {
Name – Podemos dar o nome que desejarmos ao storage.
SDPort – Porta do Bacula Storage Daemon.
WorkingDirectory – Diretório de trabalho do Bacula.
Pid Directory – Local do pid.
Maximum Concurrent Jobs – Número máximo de jobs concorrentes.
}

Storage {                             # definition of myself
  Name = bacula-sd
  SDPort = 9103                  # Director's port      
  WorkingDirectory = "/var/spool/bacula"
  Pid Directory = "/var/run"
  Maximum Concurrent Jobs = 20
}

Director {
Name – O mesmo name que foi configurado no bacula-dir.conf.
Password – A mesma senha que foi configurada no bacula-dir.conf.
}

Device {
Name – O mesmo que foi definido no bacula-dir.conf.
Media Type – O mesmo que foi definido no bacula-dir.conf.
Archive Device – Local onde será armazenado os backup’s.
LabelMedia – Habilita o label.
Random Access – permitir o Bacula acesse o dispositivo Randomicamente.
AutomaticMount – Montagem automática.
RemovableMedia – Na opção do backup em disco, não é necessário habilitar esta opção. Informa que não é uma mídia removível.
AlwaysOpen – Não utilizado quando se faz o backup em disco. Se necessário o Bacula irá abrir o dispositivo sempre que tiver em execução.
}

Device {
  Name = FileStorage
  Media Type = File
  Archive Device = /backup
  LabelMedia = yes;                   # lets Bacula label unlabeled media
  Random Access = Yes;
  AutomaticMount = yes;               # when device opened, read it
  RemovableMedia = no;
  AlwaysOpen = no;
}

Dicas:
Caso tenha interesse e realizar os backups ema mais de um disco, basta criar mais uma tag de device apontando para o outro dispositivo/diretório. A desvantagem de trabalhar com dois Device para o backup em disco, é que será preciso realizar o balanceamento manualmente através do comando run.

Por padrão o Bacula 7.0 já vem com a opção para trabalhar simultaneamente. Desta forma, nesta nova versão será possível que o Bacula gerencie automaticamente o backup em mais de um dispositivo/diretório.

Para fazer isso, é preciso deixar habilitar a opção Autochanger, como veremos abaixo:

Fonte: http://www.bacula.com.br/?p=2600

bacula-sd.conf
Autochanger {
Name = robovirtual
Device = Drive-1
Device = Drive-2
Changer Command = “”
Changer Device = /dev/null
}

Device {
Name = Drive-1 #
Drive Index = 0
Media Type = File
Archive Device = /backup
AutomaticMount = yes; # when device opened, read it
AlwaysOpen = no;
RemovableMedia = no;
RandomAccess = yes;
AutoChanger = yes;
Maximum Concurrent Jobs = 5;
}

Device {
Name = Drive-2 #
Drive Index = 1
Media Type = File
Archive Device = /backup2
AutomaticMount = yes; # when device opened, read it
AlwaysOpen = no;
RemovableMedia = no;
RandomAccess = yes;
AutoChanger = yes;
Maximum Concurrent Jobs = 5;

Observações:
A opção Autochanger deverá ser habilitada caso queira trabalhar também com robôs de fita.

Para especificar os drivers que serão utilizados no robô de fitas, basta configurar a opção Changer Device. Na opção Changer Command é informado o script padrão que o Bacula utiliza para o braço do robô de fitas.

# An autochanger device with two drives
#
#Autochanger {
#  Name = Autochanger
#  Device = Drive-1
#  Device = Drive-2
#  Changer Command = "/usr/libexec/bacula/mtx-changer %c %o %S %a %d"
#  Changer Device = /dev/sg0
#}

E em Device é configurado o caminho para o dispositivo.

#Device {
#  Name = Drive-1                      #
#  Drive Index = 0
#  Media Type = DLT-8000
#  Archive Device = /dev/nst0
#  AutomaticMount = yes;               # when device opened, read it
#  AlwaysOpen = yes;
#  RemovableMedia = yes;
#  RandomAccess = no;
#  AutoChanger = yes
#  #
#  # Enable the Alert command only if you have the mtx package loaded
#  # Note, apparently on some systems, tapeinfo resets the SCSI controller
#  #  thus if you turn this on, make sure it does not reset your SCSI 
#  #  controller.  I have never had any problems, and smartctl does
#  #  not seem to cause such problems.
#  #
#  Alert Command = "sh -c 'tapeinfo -f %c |grep TapeAlert|cat'"
#  If you have smartctl, enable this, it has more info than tapeinfo 
#  Alert Command = "sh -c 'smartctl -H -l error %c'"  
#}

Bacula-fd.conf

É o client do Bacula, o programa responsável por enviar os dados solicitados pelo Director. Também tem a função de gerenciar as gravações/restaurações dos dados. Nele é possível ter mais de um director fazendo o backup do cliente.

Director {
Name = director-dir.
# Mesmo nome configurado no bacula-dir.conf.
Password = “Senha Director”.
}

FileDaemon {
Name – O nome dado no bacula-dir.conf na opção Clients.
FDport – Porta
WorkingDirectory – Diretório de trabalho.
Pid Directory – Local do pid.
Maximum Concurrent Jobs – Número máximo de jobs concorrentes.
FDAddress – IP.
}

FileDaemon {                          # this is me
  Name = bacula-fd
  FDport = 9102                  # where we listen for the director
  WorkingDirectory = /var/spool/bacula
  Pid Directory = /var/run
  Maximum Concurrent Jobs = 20
}

Continua…
Fonte:
www.bacula.com.br
www.bacula.org
www.cooperati.com.br

>_Backup com Bacula – bacula-sd.conf e bacula-fd.conf – 1.8
Tagged on:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: