>_Backup com Bacula – Compressão e Ciclo de vida do volume – 1.11

Entendendo um pouco da estrutura de backup do Bacula.

logo

Compressão dos backups.

Para habilitar a compressão do backup, basta adicionar no FileSet o seguinte parâmetro:

compression=GZIP

O idela é utilizar a compressão apenas para backup em disco, pois a maioria dos drives de fitas modernos já fazem a compressão via “hardware”.

Com o GZIP é possível estabelecer diferentes níveis de compressão (exemplo: GZIP6 = level 6), com níveis variando de 1 a 9, sendo que 1, consiste na menor compressão e consequente menor consumo de recursos de processamento.

Níveis maiores que 6, geralmente consomem muitos recursos (e tempo), trazendo pouca economia de espaço.

Dica:
O Ganho com a compressão no Bacula, será maior se utilizar o backup em disco.

Habilitando a compressão no bacula.

# cd /etc/bacula/
# vim bacula-dir.conf

FileSet {
Name = "Full Set"
Include {
Options {
signature = MD5
Compression = GZIP4
}
File = /etc
File = /var
File = /opt
}

Exclude {
File = /var/spool/bacula
File = /.journal
File = /.fsck
}
}

Após a alteração basta reiniciar o bacula-dir.

# /etc/init.d/bacula-dir restart
Shutting down bacula-dir:                                  [  OK  ]
Starting bacula-dir:                                       [  OK  ]

Através do comando estimate listing é possível verificar a diferença entre um backup sem compressão e com a compressão.

Clico de vida de um volume.

Quando inserido um novo dispositivo de hardware (ex.: uma nova fita ou HD), o primeiro passo para sua utilização junto ao “Bacula” é o etiquetamento lógico (comando label).

Assim que “etiquetado” o novo volume estará pronto para as gravações (ou seja, status append).

# bconsole
Connecting to Director localhost:9101
1000 OK: bacula-dir Version: 5.0.0 (26 January 2010)
Enter a period to cancel a command.
*list media
Automatically selected Catalog: MyCatalog
Using Catalog "MyCatalog"
Pool: Default
No results to list.
Pool: File
+---------+--------------+-----------+---------+-------------+----------+--------------+---------+------+-----------+-----------+---------------------+
| MediaId | VolumeName | VolStatus | Enabled | VolBytes | VolFiles | VolRetention | Recycle | Slot | InChanger | MediaType | LastWritten |
+---------+--------------+-----------+---------+-------------+----------+--------------+---------+------+-----------+-----------+---------------------+
| 1 | primeiro-bkp | Error | 1 | 417,918,471 | 0 | 31,536,000 | 1 | 0 | 0 | File | 2015-04-28 23:05:16 |
| 2 | segundo-bkp | Append | 1 | 20,206,193 | 0 | 31,536,000 | 1 | 0 | 0 | File | 2015-04-30 13:19:52 |
+---------+--------------+-----------+---------+-------------+----------+--------------+---------+------+-----------+-----------+---------------------+
Pool: Scratch
No results to list.
*

Observações:
Append – Permite a gravação. Enquanto o volume estiver em aberto, não será possível começar o tempo de retenção. 

Used – Não permite a gravação. O volume fica encerrado para gravação e em seguida começa o tempo de retenção.

Limitadores de uso dos volumes (necessários para a reciclagem):

Use Volume Once = yes # Com esta opção habilitada (default,no), o “Bacula” só usará o volume uma vez e, após, irá encerrá-lo.

Volume Use Duration = ttt # Período de tempo pelo qual o volume pode ser gravado, do início do primeiro “job” para ele submetido. Após este tempo, o volume é automaticamente encerrado.

Maximum Volume Jobs = nnn # Quando atingido o numero máximo de “jobs” do volume, o mesmo é encerrado.

Maximum Volume Bytes = mmm # Número máximo de “bytes por volume”. Quando atingido, de igual sorte, o volume se encerra.

Exemplo:

1 Volume com duração para 4 dias e retenção para 10 dias.

Vamos supor que foi definido que o volume1 terá como durabilidade de 4 dias e que sua retenção será de 10 dias para torna-lo a ser útil novamente.

  1. Durante os 4 dias em que o volume estiver como append, serão armazenado os backups normalmente.
  2. Após os 4 dias em que o volume estava como append, ele passará a ser um volume com o status used.
  3. Somente após está alteração de status o volume entrará no período de retenção, no caso 10 dias.
  4. Durante estes 10 dias não será possível executar nenhum Job de backup no volume, somente após este período.
  5. Após o período de retenção, o volume passará a ser novamente um volume com o status append, retornando ao seu ciclo de vida.

 

Verificando o status do director.

Através deste comando é possível saber qual será o volume que o Bacula irá utilizar nos próximos jobs de backup. No exemplo abaixo o volume se chama segundo-bkp.

# bconsole
Connecting to Director localhost:9101
1000 OK: bacula-dir Version: 5.0.0 (26 January 2010)
Enter a period to cancel a command.
*status director
bacula-dir Version: 5.0.0 (26 January 2010) x86_64-redhat-linux-gnu redhat
Daemon started 30-Abr-15 13:53, 2 Jobs run since started.
Heap: heap=270,336 smbytes=87,493 max_bytes=88,070 bufs=292 max_bufs=333

Scheduled Jobs:
Level Type Pri Scheduled Name Volume
===================================================================================
Incremental Backup 10 30-Abr-15 23:05 BackupClient1 segundo-bkp
Incremental Backup 10 30-Abr-15 23:05 Backup do cliente Debian segundo-bkp
Incremental Backup 10 30-Abr-15 23:05 Backup do cliente Windows segundo-bkp
Full Backup 11 30-Abr-15 23:10 BackupCatalog segundo-bkp
====

Continua …
Fonte:
www.bacula.com.br
www.bacula.org
187.7.106.13/folha/T-07_T-08_T 09/Modulo%20II/Projeto_Implantacao_Servidores/Turma_08/Aula_8_Servidor_de_Backup/Manual_do_Bacula_-_PT_BR.pdf

>_Backup com Bacula – Compressão e Ciclo de vida do volume – 1.11
Tagged on:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: